Síndrome Pós Covid-19

A COVID-19 é uma doença infecciosa, conforme já bastante divulgado, causada pelo betacoronavírus SARS-CoV-2. É uma infecção de alta transmissibilidade e pode tanto ser assintomática quanto sintomática.

Pessoas que desenvolvem sintomas mais leves, como, por exemplo, dor de garganta, dor de cabeça, dor no corpo e tosse, tendem a ter uma recuperação mais rápida, com a duração média em torno de 3 a 4 semanas. Porém, há casos em que os sintomas podem se manifestar de forma intensa.

Em algumas pessoas os sintomas podem evoluir e se agravar, podendo causar falta de ar (Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG), tromboembolismo, inflamações nos pulmões e acometimento de órgãos e sistemas (cardiovascular, respiratório, neurológico, músculoesquelético, endócrino). Esse quadro pode prolongar o tempo de duração da doença, fazendo com que os sintomas e agravos durem por muito tempo (não há uma definição exata).

Esse quadro de sintomas mais prolongados e sequelas que a COVID-19 pode gerar tem sido definido como Síndrome pós-COVID-19, que também pode acometer algumas pessoas com sintomas mais leves. A Síndrome pós-COVID-19 pode, inclusive, levar à manifestação de novos sintomas e até causar sequelas em longo prazo, como sequelas respiratórias, musculoesqueléticas e neuropsiquiátricas.

Na verdade, ainda não existe um conjunto de critérios que podem ser usados para definir a Síndrome pós-COVID-19, por quanto tempo os sintomas podem persistir e o porquê de a recuperação nessas pessoas ser mais demorada. O que se sabe é que alguns fatores podem estar relacionados com a persistência dessa doença infecciosa, como baixo condicionamento físico, doenças preexistentes, complicações médicas, internação prolongada e necessidade de terapia intensiva na fase aguda.

O cuidado ou tratamento na Síndrome pós-COVID-19 é algo de extrema importância para frear a manifestação dos sintomas e reduzir as sequelas que essa doença pode causar.

Tratamento na Síndrome do pós-COVID-19

O Tratamento para o manejo no pós-COVID-19 envolve, principalmente, uma alimentação adequada e medicamentos. Tratamentos coadjuvantes também podem ser recomendados, como veremos adiante.

1. Alimentação

A alimentação tem um papel fundamental nesse processo de cuidados na Síndrome pós-COVID-19.

Por isso, o paciente deve focar em uma alimentação totalmente natural e saudável, ou seja, priorizar os chamados alimentos de verdade. São os alimentos naturais que fornecem ao corpo os nutrientes que ele precisa para manter o seu bom estado de funcionamento.

Por isso, inclua alimentos como:

  • Frutas, verduras e legumes
  • Carnes magras, aves, peixes, ovos
  • Leguminosas, como feijão, lentilha, grão de bico
  • Oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas etc.
  • Cereais integrais, como arroz, aveia etc.
  • Sementes, como linhaça, chia, gergelim etc.
  • Gordura in natura, como abacate por exemplo.

Além disso, reduza o consumo de alimentos industrializados, refinados, açúcares e gorduras saturadas (de origem animal).

Uma classe de alimentos que você deve priorizar na Síndrome pós-COVID-19.

são os alimentos anti-inflamatórios. Eles contêm substâncias e nutrientes que agem no corpo reduzindo a produção de substâncias que causam processos inflamatórios, como, por exemplo, as citocinas e as prostaglandinas. Estas substâncias podem causar uma série de condições prejudiciais e doenças, como doenças cardiovasculares, doenças reumáticas, diabetes, entre outras.

Um dos principais alimentos anti-inflamatórios que você pode incluir na sua alimentação é a cúrcuma ou açafrão. É um alimento com propriedades anti-inflamatórias e que fortalece o sistema imunológico. Outro alimento com forte ação anti-inflamatória e que também fortalece o sistema imunológico é a Nigella Sativa, uma erva conhecida como cominho preto.

Tanto a cúrcuma quanto o cominho podem ser usados como tempero de várias preparações. Também são encontrados na forma de suplementos.

Outra categoria de alimentos que devem ser consumidos são os antioxidantes. Alguns antioxidantes são: vitamina C, vitamina A, vitamina E, zinco, selênio, betacaroteno, entre outros. Estão presentes em muitos alimentos, como frutas, verduras, legumes, sementes, oleaginosas, entre outros.

Os flavonoides, como a quercetina e a luteolina, também são antioxidantes importantes para o tratamento da Síndrome pós-COVID-19. Além da suplementação, a quercetina pode ser obtida de várias frutas e verduras, e a luteolina principalmente dos folhosos verdes e da abóbora.

Alimentos fontes de vitamina D também são necessários no tratamento, pois é um nutriente importante para o fortalecimento do sistema imunológico.

Ressalta-se, que a contribuição dos alimentos para obtenção da vitamina D é de apenas 10%. A vitamina D também pode ser obtida através da suplementação.

Os alimentos fontes de ômega 3 também exercem um papel importante na redução da inflamação causada pela COVID-19. Os ômegas 3 recomendados são o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido decosahexaenoico (DHA). O ômega 3 também pode ser obtido por meio da suplementação.

Os prebióticos também são importantes no manejo pós-covid para equilibrar a flora intestinal e o sistema imune. Os principais probióticos são do gênero Lactobacillus e Bifidobacterium e suas principais fontes são o iogurte e o leite fermentado, mas que não recomendamos o uso em virtude da presença de leite e seu potencial efeito de piorar fenômenos inflamatórios.

Já os prebióticos muito bem vindos e obtidos nas fibras que servem de alimentos para a microbiota intestinal. Os principais são a inulina e os oligossacarídeos e são encontrados na cebola, alho, farinha de banana verde, batata doce, centeio, cevada e outros alimentos.

2. Medicamentos

O tratamento medicamentoso na Síndrome pós-COVID-19 envolve medicamentos de primeira linha, como anti-inflamatórios hormonais e naltrexona em baixas doses. Como medicamentos de segunda linha podem ser utilizados alguns antidepressivos e estatinas.

Por fim, pode-se ainda lançar mão do uso de antirretrovirais em casos mais graves ou que não respondam aos medicamentos de 1ª e 2ª linha. Todos esses medicamentos devem ser utilizados sob orientação médica.

3. Tratamentos coadjuvantes

A terapia e o apoio psicológico também são tratamentos que podem ser coadjuvantes na Síndrome pós-COVID-19 para melhorar a saúde mental e o bem-estar dos pacientes.

A atividade física também pode ser recomendada, levando em consideração cada caso e mediante avaliação médica.